CAMINHANDO COM LUTERO – PARTE III

121996-004-5DCF3D87

Estamos chegando bem perto da história de Lutero…
Hoje queremos conversar sobre a vida de John Wyclif
Wyclif nasceu em 1328. Ele estudou e ensinou em Oxford, Inglaterra, a maior parte da sua vida. Até o ano de 1378 ele queria reformar a igreja através da eliminação dos clérigos (padres, bispos, etc) imorais, e também com isso estes perderiam o direito à propriedade que eles tinham. Segundo Wyclif os líderes da igreja poderiam usar os bens da igreja, mas não teriam direito a posse deles. A falha em cumprir suas funções seria razão suficiente para a autoridade civil tirar os bens deles e entrega-los somente aos que servem a Deus dignamente (CAIRNS, 1995, p. 204).
Essa reivindicação de Wyclif agradava os nobres que esperavam se apoderar dos bens da Igreja Romana. Por isso Wyclif obteve proteção deles para que a igreja de Roma não o pegasse.
Mas a luta dele não foi só por causa das propriedades. A partir de 1378 ele começou a se opor as doutrinas ensinadas, das quais destaco algumas de suas posições:
– Em 1382 ele escreveu em um livro que Cristo, e não o papa, era o chefe da igreja;
– Afirmou que a Bíblia, e não a Igreja, era a autoridade única para o crente, e que a Igreja Romana deveria se moldar segundo a Igreja do Novo Testamento;
– No ano de 1382 Wyclif se opôs a doutrina da transubstanciação. Essa doutrina ensina que o pão e o vinho se transformavam no corpo e sangue de Cristo na Santa Ceia. Nós luteranos cremos na presença real, onde cremos que não há transformação da substância, mas que Cristo está presente de forma real na ceia, juntamente com o pão e o vinho, assim como Jesus mesmo instituiu. Isso mexeu com a Igreja Romana, pois tirava o “poder de dar a salvação” das mãos do bispo, visto que eles acreditavam que o sacerdote tinha o poder para transformar os elementos da ceia.
– Condenava o comércio de indulgências e veneração de relíquias;
– Criticava veementemente as cerimônias externas e tradições humanas que ofuscavam a Palavra de Deus;
Em 1382 Wyclif terminou a primeira tradução completa do Novo Testamento para o inglês, dando a possibilidade ao povo de ler a Bíblia em sua língua materna. Em 1384 Nicolau de Hereford terminou a tradução do Antigo Testamento para o inglês.
Um fato marcante da vida de Wyclif é que quando ele se encontrava acamado em Londres e muito enfermo, vieram certos frades para lhe dar conselhos. Depois de ouvir eles pedirem que ele se retratasse de tudo o que havia ensinado antes de sua morte, ele com muita coragem recostou-se na cama e recitou as palavras do Salmo 118.17: “Não morrerei, antes viverei e contarei as obras do Senhor” (FOXE, 2005, p. 63-64).
Faleceu em 1384 em Lutterworth, onde ocupava o cargo de pregador. Um fato marcante foi que mesmo depois da morte, o ódio e a perseguição a ele não terminou. Por uma determinação do concílio de Costnitz que condenou a sua doutrina, os seus restos mortais foram exumados e queimados, sendo que as cinzas foram jogadas em um rio, bem longe de qualquer igreja.
Este relato da vida de John Wyclif tem muito a nos ensinar. Uma bela conclusão a que chegamos, é que podem até destruir o nosso corpo e tentar apagar aquilo que falamos e ensinamos, mas a Palavra de Deus permanece para sempre. Mesmo que condenaram e exumaram o corpo deste pré-reformador, o seu ensino permaneceu e por isso podemos e devemos continuar dizendo: “Vou viver e anunciar o que o Senhor tem feito”. Amém

Referências Bibliográficas
CAIRNS, Earle E. O cristianismo através dos séculos: uma história da Igreja Cristã. São Paulo: Vida Nova, 1995.
FOXE, John. O livro dos mártires. São Paulo: Mundo Cristão, 2005.
JUST, Gustav. Deus despertou Lutero: Vida e obra do Reformador com alguns capítulos introdutórios e conclusivos da história geral da Igreja e da missão. Porto Alegre: Concórdia, 2003.

Pr. Clóvis Blank
Pastor Conselheiro da LLLB